há lugares que não são acessíveis a nossa experiência corporal/sensorial. lugares que são como pérolas acesas na malha de nossa memória, faiscando nossas lembranças mais aconchegantes. só a arte tem o poder de nos levar, mente e alma, a esse lugar distante, temporalmente falando. só a arte é capaz de nos trazer, pelo fio da memória, nossos momentos mais bonitos.

@renanbenedit é uma dessas pessoas que, com o poder de sua arte, me fez e faz voltar a minha infância, esse lugar longínquo inalcançável — apenas à experiência do corpo. a sensibilidade de sua arte me traz a nostalgia da simplicidade dos meus tempos de aurora.

obrigado por conceder permissão a esse vídeo, Renan. tu és luz. tua poesia é potente e vibra.

créditos:

imagem: @renanbenedit
som: @arcadefire
palavra: @poxaberto

--

--

captura de beatryz, minha irmã de pele e luta.

sobrevoa um desejo profano
acima do bater contínuo:
correr sem tempo de fôlego
estradas compostas de ares
há um murmurinho de suspiros
se rastejando nas frestas da alcova
se amontoam e se formam espectros
já não sei: me entristece
me aborrece e eu corro

fui igualmente jogado nesse inferno
não me assustam as tuas guerras
o fogarel que te compõe
os teus gritos que denotam poder
os teus assassinatos
por força faço tudo isso
mas está escrito:
eu corro — por medo, tu pergunta?
não, não
a minha estadia é errônea
o meu lugar nunca foi nenhum desses

--

--