as mulheres são todas iguais

onde encontrarás uma, encontrarás todas: esse é um vídeo que estava para publicar já faz um tempo. por alguns motivos veio atrasado, mas veio bonito — com poucos detalhes que poderiam ser melhorados, mas a gente vai aprendendo.

há alguns meses assisti Midsommar, de Ari Aster, e durante algumas cenas me veio à cabeça, automaticamente, um poema da Marceli Andresa Becker. logo quis trazer de alguma forma esse diálogo, essa intersemiose. juntei umas cenas do filme e intercalei com a música Mboitatá, de Arina Burcéva, que traz uma interpretação da lenda brasileira Boitatá, uma serpente que cospe fogo.

o vídeo pode estar sujeito à remoção por direitos autorais, mas como não é nada comercial, a gente tenta.

a música “dentro de mim”, na introdução, é da Elza Soares.

o poema, como já citado, é da maravilhosa Mar Becker, a qual tive a oportunidade de conhecê-la e lê-la em meio ao caos digital. muito obrigado por conceder permissão a esse projeto, Mar.

a voz e recitação é da incrível Ingrid Carrafa, também poeta, também mulher, que muito admiro e que como a serpente da lenda, cospe fogo. agradeço pelas trocas de ideias e pela interpretação sempre tão vivaz, Ingrid.

eis o pandemônio duma mente devorando prudências. [ instagram.com/poxaberto ]