captura de beatryz, minha irmã de pele e luta.

sobrevoa um desejo profano
acima do bater contínuo:
correr sem tempo de fôlego
estradas compostas de ares
há um murmurinho de suspiros
se rastejando nas frestas da alcova
se amontoam e se formam espectros
já não sei: me entristece
me aborrece e eu corro

fui igualmente jogado nesse inferno
não me assustam as tuas guerras
o fogarel que te compõe
os teus gritos que denotam poder
os teus assassinatos
por força faço tudo isso
mas está escrito:
eu corro — por medo, tu pergunta?
não, não
a minha estadia é errônea
o meu lugar nunca foi nenhum desses

eis o pandemônio duma mente devorando prudências. [ instagram.com/poxaberto ]