arte por carol nelson

o que as estrelas estão fazendo

para te sentir em meio a uma constelação
os ingredientes nada são mais nem tão pouco
menos que ser o nada na inércia
é preciso misturar, sem tanta força -
nenhuma, se de fato posso proferir
sem sarcástico soar, pois não sou? -
o nascer do ontem com o florescer introspecto
do amanhã que sem repousar vírgula
por puro congenitismo já se é

de repente tu é aquele conjunto
das beiradas do rio de papoulas
que surdamente se ouve

quando olha pro céu
tu ou o que quer que queira ser
o que as reticências querem que seja
avista as folhagens descartando
as distâncias das origens primitivas
que primordialmente se lançaram neste mundo
são constelações brevíssimas se não repousa
para a eternidade te ser e te sussurram adeus
pois são sensíveis demais para gritar
mesmo em estado de decomposição

os passarinhos é que apelam alto
por uma estadia serena
e ultimamente, se bem não enxerga
estão todos entrando em estado de protestos:
nos devolva o que nos foi dado por divindade!
eles suplicam
mas se posso te interromper
na preparação do teu ser
tu tem que antes estudar
os idiomas dos passarinhos

para ser parte de uma constelação
o título desta receita deveria ser
como em harmonia viver
te prepara bem: ou as estrelas fugiram
para outra galáxia
ou não estamos sabendo ser
constelações
brilhantes constelações

eis o pandemônio duma mente devorando prudências. [ instagram.com/poxaberto ]